Dica 6 - Ensinar a apontar


Apontar é um gesto importante e que revela a intenção de comunicar com ou sem linguagem falada . É um gesto utilizado para expressar a vontade de pedir ou partilhar algo.

Numa criança com o desenvolvimento neurotípico, o apontar desenvolve-se por volta de um ano de idade. Geralmente, em crianças com perturbação do desenvolvimento esta competência não se encontra presente.

Seguem-se diferentes formas de ensinar o apontar: 

Ensinar como uma competência de imitação: o adulto aponta e pede à criança para imitar. O adulto pode fornecer ajuda física e, gradualmente, atenuar a mesma. Após a aquisição é necessário generalizar esta competência, de modo a apontar diferentes direções e distâncias; 

Ensinar como uma instrução verbal: pode ajudar em fases posteriores e servir como ajuda verbal;

Ensinar como um pedido/escolha: perguntar a criança “o que queres?” e ajudar com imitação. Começar com um único item e gradualmente aumentar a distância da criança. Alterar a localização do item desejado e gradualmente aumentar o número de itens;

Ensinar como um pedido no contexto natural: no frigorífico, armário, entre outros. 

Ensinar como resposta a questão “Onde está X?”: mais uma vez, iniciar com uma distância curta e com um único item, e gradualmente aumentar tanto a distância como o número de itens. Finalmente, generalizar para o contexto natural. 

Ensinar como iniciação de um pedido: segurar um item desejado sem perguntar ou dar instrução para apontar. Aguardar a resposta da criança. Se a criança não responder dentro de segundos, utilizar a imitação como ajuda. 

Não se esqueça de reforçar cada resposta “apontar” durante a fase inicial de aquisição!  

E lembre-se: Repetir, Esperar, Insistir, Nunca Desistir!